Principal » Notícias » Adorar a Deus até o fim, apesar das perseguições, pede Papa

Adorar a Deus até o fim, apesar das perseguições, pede Papa

Há “poderes mundanos” que gostariam que a religião fosse “uma coisa privada”. Mas Deus, que venceu o mundo, é adorado até o fim com confiança e fidelidade. Este é o pensamento oferecido pelo Papa Francisco durante homilia da Missa celebrada na Casa Santa Marta nesta quinta-feira, 28. Segundo ele, os cristãos que hoje são perseguidos são o sinal da prova da vitória final de Cristo.

Papa Francisco alertou para o perigo da “tentação universal”, presente na luta final entre Deus e o Mal, proposta na liturgia deste fim de ano. Trata-se de ceder às ilusões de quem gostaria de vencer Deus, levando a melhor sobre quem crê Nele.

No entanto, o Pontífice explicou que quem crê tem a história de Jesus como uma referência clara para a qual olhar. Jesus suportou insultos e calúnias em sua vida pública até o martírio na Cruz, mas no fim a Ressurreição do Príncipe da paz venceu o príncipe do mundo.

O Santo Padre indica estas passagens da vida de Cristo porque na reviravolta final do mundo, descrita no Evangelho, o que se coloca em jogo é maior que o drama representado pelas calamidades naturais.

“Quando Jesus fala desta calamidade em um outro trecho, nos diz que será uma profanação do templo, uma profanação da fé, do povo: será a abominação, a desolação da abominação. O que aquilo significa? Será como o triunfo do príncipe deste mundo: a derrota de Deus. Parece que naquele momento final de calamidade, que se imporá neste mundo, ele será o patrão do mundo”.

A prova final, então, é a profanação da fé, o que se nota na primeira leitura, quando o profeta Daniel é jogado aos leões por ter adorado Deus e não o rei. “Os símbolos religiosos são removidos. Deve-se obedecer às ordens que vêm dos poderes mundanos. Pode-se fazer tantas coisas, coisas bonitas, mas não adorar Deus”.

Segundo o Papa, este é o centro do fim. E quando se chega à plenitude desta atitude pagã, aí sim será visto o Filho do Homem com grande poder e glória. “Os cristãos que sofrem tempos de perseguição, tempos de proibição de adoração são uma profecia daquilo que vai acontecer a todos”.

Concluindo a homilia, Francisco lembrou que quando o tempo dos pagãos for cumprido, este será o momento de levantar a cabeça, porque estará próxima a vitória de Jesus Cristo. No entanto, não é preciso ter medo, porque Deus só pede fidelidade e paciência.

“Esta semana nos fará bem pensar nesta apostasia geral, que se chama proibição de adoração e perguntar-nos: ‘eu adoro o Senhor? Eu adoro Jesus Cristo, o Senhor? Ou, um pouco meio a meio, faço o jogo do príncipe deste mundo?’. Adorar até o fim, com confiança e fidelidade: esta é a graça que devemos pedir esta semana”.

Fonte: Ecclesia

Sobre ewerton.ventura

Veja também

Laudato si

Lançada encíclica do Papa Francisco: Laudato si, sobre o cuidado da casa comum

CARTA ENCÍCLICA LAUDATO SI’ DO SANTO PADRE FRANCISCO SOBRE O CUIDADO DA CASA COMUM   …

Deixe uma resposta